quarta-feira, 27 de julho de 2011

Prof. Énio Ramalho

Vida e obra

O Prof. Énio da Conceição Ramalho nasceu em 1916 e é ainda vivo. Foi um homem de múltiplos ofícios: professor, músico, pintor, etc. Publicou vários livros, mas sobretudo uma Gramática de Língua Inglesa que teve numerosas edições.
Ensinou no Liceu, primeiro, de 1957 a 1962, e depois, de 1971 a 1985, num total de 19 anos, tendo-se aposentado por limite de idade em 1985. Em 1975-76, foi "Encarregado da Direcção" do Liceu, juntamente com o Prof. Orlando Taipa.


A informação biobibliográfica que se segue é da autoria de Maria Isabel Correia Martins e recolhi-a do livro Reencontro com o Dr. Luís Amaro de Oliveira, o Professor, o Amigo, ed. da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, 2001, páginas 84-85.

Fez a escola primária e o liceu em Macau, terra da sua naturalidade. Partiu para Coimbra em 1935, ano em que ingressou na Universidade, onde cursou Filologia Germânica, tendo concluído o curso em 1939 com distinção. Obteve o prémio do Instituto Britânico, como o melhor aluno de Inglês no final do curso. Defendeu tese sobre o tema "Aldous Huxley - o Intelectual Perante os Homens e a Vida", trabalho que a Faculdade de Letras da mesma Universidade publicou em separata da "Biblos", revista cultural organizada com colaboração dos professores da Faculdade. Frequentou o Estágio Pedagógico em Coimbra, no Liceu D. João III.
Ingressou no ensino no ano de 1942. Em 1947, a convite do Instituto Britânico, frequentou um curso de especialização destinado a professores da Língua Inglesa, no qual tomaram parte representantes de dez países da Europa e do Norte de África. O curso teve como sedes Liverpool, Londres e Oxford.
Leccionou durante anos em vários liceus do país, entre eles, o Liceu Nacional da Póvoa de Varzim, de 1957 a 1962; já então, fazia do teatro uma actividade paralela ao ensino, tendo levado à cena Guerras do Alecrim e Manjerona, de António José da Silva, com alunos do 5.º ano.
Em 1962, concorreu para o Liceu de Macau, onde foi nomeado Reitor e, no ano seguinte, Chefe dos Serviços de Educação, regressando, de licença à Metrópole em 1967. Desligou-se do quadro ultramarino para retomar o exercício no Liceu Pedro Nunes, em Lisboa. No ano de 1972, concorreu a um lugar no Liceu da Póvoa de Varzim, onde leccionou até 1985, ano em que se aposentou.
Durante a sua actividade docente publicou algumas obras que a seguir se indicam:

Aldous Huxley - o Intelectual Perante os Homens e a Vida (tese de licenciatura), 1941;
Gramática da Língua Inglesa (para o ensino secundário), Porto Editora, 1958;
Guia de Conversação Inglesa, Porto Editora, 1959;
Dicionário Essencial Inglês-Português, edição do autor, 1961;
Coexistência Cultural (subvencionada pelos Serviços de Turismo de Macau), 1964;
A Princesinha na China (história para crianças e adolescentes), edição do autor, 1981;
Dicionário Estrutural Estilístico e Sintáctico da Língua Portuguesa, Lello & Irmão, 1985;
O Menino das Estrelas - Entre os Doutores (1998).

Obras Traduzidas:

A Psicologia - Estudo do Comportamento, de William Macdougal, edição França Amado, 1938, Coimbra;
Método e Teoria na Psicologia Experimental, de Charles Osgood, edição da Fundação Calouste Gulbenkian, 1972;
Os Dois Parentes Nobres, de William Shakespeare e John Fletcher, Lello & Irmão, 1974;
Sonetos Completos, de William Shakespeare, Lello & Irmão, 1998.

Ultimamente tem-se dedicado à música, o que, aliás, já fazia desde muito novo, tendo iniciado os seus estudos de solfejo e de órgão sob a orientação do Rev. P.e Mateus das Neves, director da "Schola Cantorum" da Igreja de S. Lourenço, de Macau. Posteriormente, estu­dou Harmonia e Composição. É autor de composições para solo e coro e também para peças instrumentais, especialmente violino e piano. Participou no 1.º Festival da Canção Poveira em 1962, tendo obtido o 1.º prémio com a canção "Saudades do Mar" com que abrem e fecham as emissões diárias radiofónicas da época balnear, na Av. dos Banhos, posteriormente gravada em disco. Outras composições suas foram gravadas em disco e cassete, como por exemplo, "Santa Maria dos Mares", divulgada pelo cantor Luís Piçarra, "Na Lapa os Sinos Tocam", em cassete, interpretada pelo Coro da Lapa. Participou, ainda com uma composição, numa festividade realizada na Escola Secundária Rocha Peixoto intitulada "S. Pedro nas Escolas".
No que se refere à pintura, participou numa exposição colectiva local, no salão do Casino da Póvoa e fez a sua primeira exposição individual no Salão do Turismo da Póvoa, em 1991. Em 1995, participou na exposição comemorativa dos 150 anos do nascimento de Eça de Queirós, realizada na Filantrópica, com o seu quadro "O Mandarim". É autor, entre outras obras, de estampas com Trajos Poveiros, recentemente adquiridas pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, reproduzidas, há pouco, em postais. Em 1997, participou numa exposição de arte realizada no salão dos Bombeiros Voluntários de Vila de Conde, com uma escultura denominada "Cristo das Catacumbas".

Sem comentários:

Enviar um comentário